desNORTE # 1

 

DesNORTE | #1
Onde? Breyner85
Quando? 1 Novembro 2011 | 15h-18h
Organização? Andreas Dyrdal & Elisabeth Lambeck
Com quem? Andreas Dyrdal, Cristina Leitão, Elisabeth Lambeck, Flávio Rodrigues, Isabel Costa, João Costa, Susana Otero, Teresa Prima, Teresa Santos,  Vera Mota

 

1.              WELCOME!
O primeiro encontro decorreu no espaço exterior do Breyner85.
10 foi um bom número para começar!
Depois de explicarmos um pouco como tinha surgido o desNORTE iniciámos a conversa.Todos sentimos a necessidade de fortalecer a comunidade e de nos conhecermos melhor.
Para já gostaríamos que o desNORTE não fosse uma organização política, apoiada em estruturas já existentes, mas sim um encontro artístico que facultasse um discurso colectivo. Mais tarde poderá naturalmente evoluir com acções mais interventivas ou ramificar-se em grupos de trabalho específicos tendo em vista colmatar o óbvio buraco existente entre os artistas e as entidades programadoras.
No entanto, todos achámos que devemos primeiro estabelecer relações mais fortes entre nós.
Aqui estão algumas reflexões sobre a conversa inicial, expectativas e pensamentos soltos:
“Olhar-nos olhos nos olhos dá-nos força como comunidade”
“Não é preciso perder o território individual só por partilhar.”
“Gerar feedback para as nossas criações, mesmo que não tenhamos a mesma forma estética”
“Necessidade de saber quem são as pessoas que trabalham no Porto e moram ao lado. Quem são as pessoas que ainda estão cá? (…) Os espaços alternativos acabam sempre por resistir no Porto. (…) Colmatar o buraco existente entre quem faz e quem programa”
“How can this work as an artistic community. (…) Yes, there are things happening in Porto.”
“Here, people work a lot alone”
“Também estou interessado no buraco que existe a nível de programação mas sim, 1º temos que fortalecer a comunidade que existe, sem nos fecharmos só na partilha e feedback”
“Estou sempre comigo e quero ter uma ligação com outras pessoas que não sejam só do meu círculo”
“For me Porto seems like a closed city, behind walls. We should put to a fertile ground our artistic values and at some point also touch some more organizational points”
 
2.              “5 Minute Creative blind dates”
Em seguida, orientados pelo Andreas, começamos os blind dates criativos, que ajudaram imenso (ou confundiram ainda mais) a “descrever” o que seria um futuro processo criativo e permitiu que nos fossem feitas perguntas sobre essa nova criação.
Fomos divididos em 2 grupos: os ouvintes e os oradores. Os oradores tinham apenas alguns minutos para falar da sua ideia para uma nova criação em qualquer estado de desenvolvimento e no final do tempo, passavam para o ouvinte seguinte.
A conversa recomeça então com uma nova constelação.
3.              Momento aberto
Neste último momento do encontro surgiu a proposta de encontros em estúdio onde pudéssemos trabalhar fisicamente, usar-nos uns aos outros para pesquisar alguma ideia, praticar aulas como professores ou usufruir delas como “alunos”.
Para já o único dia fixo para os encontros de pesquisa no estúdio é 5ª feira, no Ginasiano às 10h30 (este dia e horário, pode manter-se nos próximos tempos).

Esta semana, conseguimos também o Ginasiano para amanhã, às 13h30, para quem quiser!!

No entanto vamos ter que arranjar um outro espaço para as 3ªs para não sobrecarregar o Ginasiano, onde à tarde/noite é impossível por causa das aulas.

No Breyner pedem-nos no mínimo 2€ por pessoa mas não temos a certeza do horário disponível e sendo assim, teríamos mesmo que assegurar esse dia com pessoas.
Sugestões de espaços para as 3ªs aceitam-se!

Muita gente se mostrou interessada em fazer estes encontros, de duas em duas semanas ao sábado, paralelamente à 5ª feira, o que acham? Talvez possamos discutir isto no próximo desNORTE.

Até lá!